Clique aqui para enviar um e-mail
Partido Nacional dos Trabalhadores

Filiado a http://cntm.org.br/portal/default.asp

 
.: Sindicato de Santa Rita investe na formação de dirigentes sindicais

0
sem imagem

Os dirigentes do SINDVAS, que representa os trabalhadores metalúrgicos de Santa Rita do Sapucaí, participaram nesta terça-feira, 17 de setembro de um curso de formação sindical, abordando os principais temas da conjuntura econômica brasileira e problemas enfrentados pelos trabalhadores, como terceirização, jornada de trabalho, assédio moral, baixos pisos salariais.

O curso foi ministrado pelo assessor político da Executiva Nacional da Força Sindical, Hugo Peres, que abordou exaustivamente a necessidade dos investimentos nas estruturas dos sindicatos para contrapor o poderio patronal e seu lobby junto ao Congresso Nacional no sentido de aprovar projetos de seu interesse. “O dirigente sindical tem que estar preparado, conhecer profundamente seus acordos coletivos e ter aproximação rigorosa com os trabalhadores na base, para encaminhar soluções exigidas pelos companheiros”, afirma Hugo Peres.

Também o presidente da Força Sindical MG, Luiz Carlos Miranda, ressaltou a importância da “sabedoria e competência dos dirigentes sindicais para atender as necessidades dos trabalhadores”, alertando que este é um esforço ao qual todo dirigente sindical deve se empenhar, para ser eficiente na luta e ter o reconhecimento da sua representatividade junto aos companheiros.

A Força Sindical Minas programou outros cursos de capacitação  também nas regiões da Zona da Mata, alto Paranaíba, Triângulo e Norte, de forma a atingir todo o Estado e facilitar os processos de mobilização  geral dos trabalhadores.

A presidente do SINDVAS e da Femetalminas, Rosângela Lopes, cumprimentou toda a sua diretoria em Santa Rita do Sapucaí pelo comprometimento no curso de capacitação e pelo grau de conhecimento demonstrado sobre os problemas dos trabalhadores na região. “Estes eventos, além de formar os dirigentes, torna-os mais próximos, permite a troca de experiência, para que todos possam tomar decisões e encaminhamentos conscientes das reivindicações da categoria”, afirma Rosângela.


          

Voltar

Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF