Clique aqui para enviar um e-mail
Partido Nacional dos Trabalhadores

Filiado a http://cntm.org.br/portal/default.asp

 
.: Unidade de ação metalúrgica em defesa dos direitos e da aposentadoria

Paralisação Nacional dos Metalúrgicos
sem imagem

Mais uma vez, empresários, banqueiros e governos querem jogar a crise da economia nas costas da classe trabalhadora. Quando a economia cresce, os lucros ficam com as grandes empresas e os bancos. Quando vem a crise, ela é jogada nas costas dos trabalhadores: é sobre nós que recaem o desemprego, a eliminação de direitos, o arrocho dos salários.

Chegou a hora de dizer Basta!

Não aceitaremos as mudanças na Previdência Social que vêm sendo anunciadas pelo governo federal, nem as mudanças propostas para as leis trabalhistas, fazendo prevalecer o negociado sobre o legislado, novos tipos de contrato de trabalho, a eliminação de direitos e outros. Precisamos de mais direitos e não menos.

O Brasil precisa acabar com a terceirização e não generalizá-la, como pretende o governo e o PLC 30/15. Queremos emprego decente, redução da jornada de trabalho sem redução salarial, para gerar mais empregos, e a manutenção da NR-12.
Chega de dinheiro para banqueiros! Queremos saúde, educação, moradia e transporte público de qualidade para os trabalhadores e a população. É preciso pôr um fim a esta política econômica que só atende os interesses dos bancos e grandes empresas.
O caminho para que prevaleçam os interesses da classe trabalhadora é a luta.

Sindicatos de metalúrgicos do País reunidos na quinta-feira, 8 de setembro, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, convocaram a categoria a lutar em todo o País para barrar todos estes ataques.

Já fizemos sacrifícios demais. Agora chega. Cortar direitos não gera empregos. Nunca conquistamos nada sem lutar. Não vai ser diferente agora. Afirmamos de forma categórica: lutaremos contra qualquer governo que ataque os nossos direitos!

Os metalúrgicos darão um primeiro passo, com uma paralisação nacional na quinta-feira, 29 de setembro de 2016.
Conclamamos à unidade nesta luta todas as Centrais Sindicais, Confederações, Federações e Sindicatos de trabalhadores de todo o Brasil.


          

Voltar

Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF