Clique aqui para enviar um e-mail
Partido Nacional dos Trabalhadores

Filiado a http://cntm.org.br/portal/default.asp

 
.: Metalúrgicos participam da vigília em Brasília pela fórmula 85/95

sem imagem

Dirigentes sindicais e ativistas da Força Sindical e as demais centrais (CUT, UGT, CTB, Nova Central, CSB e CGTB) iniciaram na terça-feira, 16 de junho, a “Vigília contra o veto presidencial à fórmula 85/95”, que foi aprovada no Congresso Nacional e representa uma alternativa ao Fator Previdenciário, que só serviu para reduzir as aposentadorias.
O ponto de encontro foi em frente à Catedral Metropolitana de Brasília, de onde os manifestantes seguiram até o Palácio do Governo. A vigília durou a noite toda e será encerrada nesta quarta-feira, por volta das 10 horas. Vale lembrar que expira hoje, 17 de junho, o prazo para sanção ou veto presidencial à fórmula 85/95.


“Vamos tentar ‘iluminar’ a presidente da República para que ela, em vez de vetar, sancione a fórmula 85/95, evitando, assim, que gerações e gerações recebam aposentadorias achatadas em até 40%”, declara Miguel Torres, presidente da Força Sindical e da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos).


Dirigentes metalúrgicos:


Vários dirigentes metalúrgicos ligados à CNTM estão presentes à mobilização.
“Em 1999, o País uma vivia um momento delicado com a previdência e a saída encontrada foi o Fator Previdenciário. O momento é outro hoje e vários trabalhadores têm sido penalizados com a não integralidade da sua aposentadoria. Os que quiserem receber mais têm que trabalhador muito mais. Hoje é possível sancionar a fórmula 85/95 e tornar o processo de aposentadoria menos desigual”, afirmou a presidente do SINDVAS (Sindicato dos Metalúrgicos do Vale do Sapucaí/MG) e da Federação dos Metalúrgicos de Minas Gerais, Maria Rosângela Lopes.
Josete Machado Filho (Pepe), diretor dos metalúrgicos de Guarulhos, afirma: “O mecanismo 85/95 já foi aprovado no Congresso. Vamos pressionar para que a presidente Dilma sancione”.
Para João Carlos Gonçalves (Juruna), secretário-geral da Força Sindical e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, se a presidente Dilma vetar a fórmula 85/95 será um erro. “Primeiro por desconsiderar decisão já tomada pelo Congresso Nacional. Segundo por não levar em conta a reivindicação do sindicalismo”.
Dirigentes encontram-se com o presidente do Senado, Renan Calheiros, para debater a fómula 85/95, alternativa ao Fator Previdenciário. O encontro aconteceu no gabinete da presidência do Senado.


          

Voltar

Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF